• secovitap

Hipertensão! Eu tenho?

Ao contrário do que a maioria das pessoas acredita, a hipertensão arterial sistêmica, não é diretamente uma doença do coração, mas uma doença que ataca todas os vasos do corpo, gerando um estreitamento dos mesmo e por isso está implicada no surgimento de várias complicações a nossa saúde. É considerado hipertenso o adulto que apresente mais de uma medida da pressão arterial maior ou igual a 140x90mmHg. Alguns dados podem nos mostrar a importância deste agravo para a saúde coletiva, a hipertensão é hoje a primeira causa direta de morte no mundo e a terceira causa de incapacidades.

Aproximadamente 54% dos acidentes vasculares cerebrais (AVC) e 47% dos casos de cardiopatia isquêmica (infarto) em todo o mundo são atribuíveis a pressão arterial (PA) e a hipertensão está presente em aproximadamente 69% dos pacientes com um primeiro infarto do miocárdio, em aproximadamente 77% dos pacientes com um primeiro AVC, em cerca de 74% de pacientes com insuficiência cardíaca crônica e em 60% dos pacientes com doença arterial periférica (BARYLSKI et al., 2011; BIELECKA-DABROWAet al., 2011; MANCIAet al., 2009). Sabemos que na maioria das vezes a doença não manifesta sintomas clínicos típicos, podendo ser confundida com outras doenças se não for avaliada por um profissional de saúde. Suas causas ainda não estão completamente elucidadas, mas hoje se sabe que muitos fatores podem ser igualmente responsáveis por esta doença. Dentre os fatores responsáveis pela hipertensão podemos dividir dois grupos: os não modificáveis e os modificáveis. Entre os não modificáveis podemos citar a genética (quando herdamos a predisposição dos nossos familiares), a idade (o envelhecimento aumenta o risco da doença em ambos os sexos) e a etnia (negros tem maior predisposição a desenvolver a doença). Quanto aos fatores modificáveis, ou seja, aqueles que podemos atuar, devemos lembrar da obesidade, do tabagismo, do consumo excessivo de sal, do abuso de bebidas alcoólicas, da falta de atividade física – sedentarismo e do estresse.

Infelizmente a hipertensão NÃO tem cura, mas tem tratamento e por ter várias causas exigirá um tratamento complexo que consiga atuar no máximo de fatores modificáveis. Apenas o uso correto dos remédios prescritos, por seu médico, não será suficiente para que você realmente esteja tratado, é importante seguir as recomendações de controle do peso, eliminação do tabagismo, dieta adequada, redução da ingestão de álcool e atividade física regular. Portanto, agora que você já sabe um pouco sobre essa doença, não perca tempo, se você é homem e tem mais de 35 anos ou mulher com mais de 45 anos, possui algum dos fatores modificáveis ou não modificáveis procure o seu clínico e solicite a ele um acompanhamento da sua pressão arterial e de seus fatores de risco. Seu coração e seu corpo agradecem!


Dra. Maria Tereza Nêri Rosa

1 visualização

Rua Arthur Bernardes, 375 - Martins - Uberlândia/MG

Horário de atendimento - 8h às 18h

Tel: 34 3231-3242